quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Vinho: se é Português, é de excelência

Em pleno séc. XXI, dispensam apresentações. Seja do Douro, do Dão, do Alentejo ou da Estremadura. Se é Português, tem garantia de qualidade. No campo das exportações, o Vinho do Porto vai ganhando terreno face aos restantes. Logo atrás, o Vinho Verde. O território português é riquíssimo em regiões vinícolas. Conheçamos algumas:


Minho - é a maior região vitícola portuguesa e situa-se no noroeste de Portugal. Aqui produzem-se vinhos de acidez e frescura características, das denominações de origem Vinho Verde DOC e Vinho Regional Minho. Nesta região destacam-se as castas brancas, sendo as mais reconhecidas e utilizadas as: Alvarinho, Loureiro, Trajadura, Avesso, Azal e Arinto, aqui designada Pedernã.


Douro – é a mais antiga Região Demarcada do mundo, conhecida pela notável qualidade dos seus vinhos e pelo famoso Vinho do Porto. As vinhas do Douro são um autêntico bálsamo para a alma. Quem as vê, não esquece. Criam paisagens magníficas, reconhecidas como Património Mundial da Humanidade, desde 2001. Entre as várias castas cultivadas destacam-se a Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinto Cão e Tinta Roriz.


Dão – situa-se na Beira Alta, no centro de Portugal. As vinhas situam-se entre os 400 e os 700 metros de altitude, em planaltos de solos xistosos e graníticos de pouca profundidade, onde abundam os pinhais, produzindo vinhos encorpados com elevada capacidade de envelhecimento em garrafa.


Bairrada – situa-se na Beira Litoral. Tem um clima suave, temperado pela proximidade do Oceano Atlântico. Apesar da produção de vinho existir desde o século X, foi no século XIX que se transformou numa região produtora de vinhos de qualidade tintos, brancos e espumantes.


Valpaços – os vinhos da região de Valpaços têm algumas semelhanças aos vinhos do Alentejo, devido ao clima quente que possuem as duas regiões na altura da maturação da uva. Os vinhos Tintos são vinhos muito encorpados, com muita cor, macios e fáceis de beber. Os vinhos Brancos são vinhos que possuem uma acidez correta, que são frescos, leves e com odor floral.


Alentejo - é uma das maiores regiões vinícolas de Portugal, com cerca de 22.000 hectares, correspondendo a 10% do total de vinha de Portugal. Região quente e seca, é dominada por extensas planícies de solos pobres. As muitas horas de sol e as temperaturas muito elevadas no Verão permitem a maturação perfeita das uvas. Nos vinhos alentejanos pontuam as castas Trincadeira, Aragonez, Castelão e Alicante Bouschet, resultando em tintos encorpados, ricos em taninos e aromas a frutos silvestres. As castas brancas são a Roupeiro, a Antão Vaz e a Arinto, resultando em vinhos brancos geralmente suaves, com aromas a frutos tropicais.


Setúbal - é conhecida pelos vinhos generosos Moscatel de Setúbal, produzidos de castas moscatel, por vinhos tintos de cor intensa e aroma cheio, onde se destaca a casta Periquita, e por vinhos brancos elegantes, elaborados com predominância da casta Fernão Pires, que exibem um aroma frutado.


Algarve - é uma região de clima marítimo, pela influência do oceano Atlântico e, simultaneamente, quente e seco, pela existência de montanhas a norte. Tem uma amplitude térmica reduzida e uma exposição solar bastante significativa. As castas principais são a Castelão e a Negra Mole (tintas) e a Arinto e a Síria (brancas). São vinhos suaves e frutados.

A riqueza vinícola do nosso país é extensa. Do que espera para nos fazer uma visita e deliciar-se com os nossos néctares? http://www.besttimetour.com.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...