quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Carlota Joaquina: a princesa espanhola que foi rainha do Brasil

Carlota Joaquina era filha do rei de Espanha, Carlos IV, com D. Maria Luísa de Bourbon. Nasceu em Abril de 1775, em Aranjuez. Aos 10 anos foi obrigada a contrair matrimónio, por via da procuração, com o príncipe português D. João, filho de D. Maria I. D. João tornou-se príncipe regente após a morte do seu irmão mais velho e depois de declarada insanidade a sua mãe.


Carlota Joaquina era uma mulher feia, de personalidade forte, que tentava constantemente impor as suas vontades. Interesseira tentou de imediato mandar no seu marido. No entanto, D. João não cedeu aos seus desmandos, o que afastou o casal. Quando D. Maria I adoece, com problemas de demência, D. João passa a viver no Palácio de Mafra, ao seu lado, enquanto Carlota Joaquina permanece no Palácio de Queluz, juntamente com a família real. A princesa deu à luz nove filhos, entre eles Pedro de Bragança, que viria a ser o futuro rei do Brasil.

Chegou ao Brasil contra a sua vontade e optou por viver sempre distante do marido, em localidades mais campestres, como Botafogo, por exemplo. Eram vistos juntos apenas em eventos públicos. O seu humor variava muito. Caso fosse péssimo, era capaz de mandar castigar quem não se ajoelhasse quando ela passasse com a comitiva.


Como não podia colocar a autoridade de D. Carlota em risco, D. João procurava mantê-la vigiada por agentes secretos, que contratava para seguir todos os seus passos. Mas Carlota Joaquina era demasiado esperta e encontrava sempre forma de comprar um deles para que a mantivessem informada do que se passava no Palácio Real e na Quinta da Boa Vista. Francisco Gomes da Silva, conhecido por Chalaça, era um dos espiões, que ficou conhecido por trabalhar para os dois, simultaneamente. Entre as várias informações que chegavam ao príncipe estavam incluídas os vários amantes da sua mulher e as tramas que articulava contra o príncipe, no intuito de lhe tirar o poder das mãos. Em 1816, após o falecimento de D. Maria I, Carlota Joaquina é declarada Rainha

Quanto regressa a Portugal, após a Revolta do Porto, torna pública e notória a sua insatisfação com o regime constitucional que impera, o que implica a invalidação do seu título honorífico português. Isolada da Quinta do Ramalhão, arquiteta várias formas para retomar ao absolutismo. Depois do falecimento de D. João VI, tentou convencer o filho D. Miguel a apoderar-se da coroa, mas em vão. Esta pertencia, por direito, a D. Pedro I, que a reivindicaria. D. Carlota Joaquina morre no Palácio de Queluz, em 1830.

Descubra mais sobre as histórias da monarquia que Portugal tem para contar. Visite-nos: www.besttimetour.com.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...